Compartilhe o
nosso conteúdo
Dê a sua opinião

Trabalho e Vida

Economia tem na saúde emprego de qualidade

07 de Maio de 2019 Gilson Aguiar
Um dos setores mais importantes da economia de Maringá é o de saúde. A capacidade de geração de emprego no setor é um dos termômetros de seu crescimento. Não podemos esquecer o grau de especialidade que o setor exige. O que determina a geração de uma vaga de trabalho com especialidade, tanto superior como técnica.

Maringá continua sendo um polo de atração na região. Tanto para a qualificação de trabalhadores na área, como também de serviços prestados. Se levarmos em conta a geração de emprego na área da saúde, levando em consideração também a saúde animal, em 2017 foram gerados 7.924 novos postos de trabalho. O total de empregos gerados neste ano, foram 156.175.

A segunda cidade com maior captação de profissionais nesta área é Mandaguari. Em 2017 a cidade gerou 10.119 postos de trabalho, sendo que 67 foram na área de saúde humana e animal. Se compararmos com os números de Maringá a diferença é significativa. A distância aumenta ainda mais observando os números de Marialva, 47 postos de trabalho na área da saúde, e Mandaguaçu, 32.

Há uma tendência de concentração de serviços na cidade sede da região metropolitana. Maringá acaba por ser ponto de referência e convergência de especialistas para a população de toda a região. O que, de certa forma, gera demanda e permite o crescimento do potencial econômico do setor.

Sarandi é outra cidade que se destaca. A cidade gerou 11.774 empregos em 2017, sendo que 617 foram na área da saúde. Hoje a cidade é o terceiro polo econômico da região. Pela sua localização, conturbada a Maringá, acaba por captar parte da demanda regional. Uma tendência que deve se manter nos próximos anos.
seta-top